O ladrão e a Redenção

6 Comments

O LADRÃO E A REDENÇÃO
Lucas; 23: 40-43

 

Todos nós temos conhecimento de que dois ladrões foram crucificados ao lado de Cristo. Quero me ater a apenas um deles, o que se arrependeu e pediu ao Filho de Deus que se lembrasse dele no seu reino e no mesmo momento Jesus lhe respondeu que ele estaria no seu paraíso.

Por muitas vezes somos questionados no nosso interior sobre a certeza do perdão de Deus e essa é uma arma muito utilizada pelo inimigo para nos afastar do centro da vontade do Pai. Se analisarmos a nossa vida, concluiremos que todas as vezes que pecamos somos levados a uma acusação que corrói toda a nossa fé e esperança de mudança, principalmente nós jovens que sempre estamos sendo tentados em várias áreas, enquanto simultaneamente estamos sendo cobrados por nossos pais e até pela sociedade uma postura diferenciada.

Primeiro precisamos entender que Deus não compactua com os nossos pecados, Ele não concorda com nossos erros, odeia nossas falhas, mas nos ama. Desde a queda do homem Ele está tentando reaver a comunhão que tanto desejou ter conosco, levantou pessoas para serem juízes e libertar o povo de Israel da escravidão que vinha como conseqüência de cada recaída na idolatria, levantou profetas, enviou Jesus e até hoje tem se mostrado aberto para a reconciliação. Nosso Deus é um Deus de amor e isso é imutável, faz parte de sua essência e caráter.

Outra coisa que precisamos entender é que a graça divina não pode ser usada para justificar nosso erro, este ato é o que Dietrich Bonhoeffer em seu livro Discipulado chama de “graça barata”, o ato de justificar o pecado e não o pecador. Embora Cristo tenha morrido pelos pecados do homem, isso não justifica uma vida desregrada e sem nenhuma ligação com a santidade que Ele deseja que tenhamos.

Por fim, a redenção está ao alcance de todos aqueles que, como aquele ladrão, se arrependem e aproveitam a nova chance que Deus os dá. Trata-se de uma decisão firme e radical contra o pecado e uma busca por algo maior, a eternidade ao lado de Cristo. Trata-se de mudança de mente e de atitude.

Quero, portanto, encorajá-lo a aceitar o perdão de Deus, Ele não entregou seu filho aos homens para que hoje tivéssemos que carregar um peso por causa das acusações do nosso inimigo. A redenção está ao seu alcance, mesmo que você não esteja numa cruz ao lado do Filho de Deus.

Foi pelo ladrão, foi por mim, foi por você.

Foi por amor.

Redenção.

 

Gil Morais, 28 anos, filho do Deus Altíssimo, escritor, integrante da rede de jovens da Comunidade Família da Graça, Salvador – BA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *